www.hydrapreciosa.blogspot.com

terça-feira, 23 de maio de 2017

SAIBA COMO EVITAR A CONTAMINAÇÃO POR ESTES 7 GERMES NOCIVOS


Hoje em dia, as infecções tornaram-se mais comuns. Uma forma de infecção vem de um grupo de bactérias que são encontradas em uma variedade de alimentos e fezes de animais. Portanto, é importante entender o que são esses germes, o que eles fazem, e acima de tudo - como evitá-los!

 1. E. Coli
O germe E. Coli vive no cólon de pessoas e animais, como vacas, ovelhas e cabras. A bactéria não é geralmente prejudicial, na verdade, é necessária para as atividades rotineiras do sistema digestivo. No entanto, causa uma preocupação quando entra em contato com fezes, porque assim surge o risco de infecção. As bactérias normalmente viajam através de carne crua, água poluída e produtos lácteos não pasteurizados.

Os sintomas de infecção de E. Coli incluem diarreia grave, dores de estômago e vômitos que podem durar entre 5 a 10 dias. Além disso, essabactéria pode causar infecções urinárias, sendo as mulheres especialmente suscetíveis.

Embora a grande maioria das bactérias E. Coli não são mortais, existem vertentes que podem causar sangue na diarreia, mau funcionamento dos rins e até mesmo a morte.

Para evitar a infecção, certifique-se de cozinhar adequadamente a sua carne, lave as frutas e legumes completamente antes de comer ou cozinhar, e evite beber leite não pasteurizado e suco. Certifique-se de limpar sempre as mãos e também limpar utensílios de cozinha e superfícies de trabalho que entrou em contato com carne crua.

2. Campylobacter

Campylobacter jejuni é uma espécie de bactéria comumente encontrada em fezes de animais. É uma das causas mais comuns de gastroenterite humana no mundo. Intoxicação alimentar causada por espécies campylobacter pode ser severamente debilitante, mas raramente é fatal.

Essa bactérias é comumente associada com aves, porque elas naturalmente colonizam o trato digestivo de muitas espécies voadoras. Um estudo descobriu que 30% das espécies de pássaros conhecidos como estorninho-comum e presentes nas fazendas de Oxfordshire, no Reino Unido, eram portadores de C. jejuni. Esta bactéria também é comum em bovinos.

Evite água potável contaminada e leite não pasteurizado. Os alimentos contaminados são uma fonte importante de infecções também. Carne vermelha e de aves mal preparadas são a principal fonte de bactérias, e uma infecção grave é causada por comer alimentos contaminados. A doença afeta principalmente mulheres grávidas, recém-nascidos, adultos com sistemas imunológicos enfraquecidos e idosos.


3. Listeria
 Os germes de listeria são encontrados no solo e na água, e podem aparecer em alimentos crus como frutas e vegetais, carne crua e peixe, bem como produtos lácteos não pasteurizados. Ao contrário de outras bactérias, esta espécie também pode crescer e se espalhar nas temperaturas relativamente baixas encontradas na geladeira.

A maioria dessas bactérias são tratadas pelo sistema imunológico antes que possam causar infecção, mas em alguns pode ocasionar mais sérios problemas.

Os sintomas de listeriose incluem febre, calafrios, dores de cabeça e vômitos. Pessoas com alto risco de infecção por listeria são mulheres grávidas e seus fetos, adultos com mais de 50 anos e pessoas com um sistema imunológico fraco.

A listeriose pode não afetar muitas pessoas - pesquisas sugerem que a cada ano afeta cerca de 1.600 pessoas em todo o mundo. No entanto, desses 1600, 260 morrem.

Para evitar a infecção, enxágue bem os vegetais e as frutas antes de comer e limpe bem a área que a carne crua permanece, ou é cortada.

4. Vibrio
Os germes de vibrio parahaemolyticus vivem na água salgada, e são encontrados frequentemente em mariscos mal cozidos. Podem causar intoxicação alimentar que irá causar diarreia aquosa, cólicas estomacais, náuseas, vómitos, febre e arrepios. Casos graves causarão o aparecimento de sangue e muco nas fezes.

Pessoas que comem peixe e frutos do mar não cozidos podem ser infectados em 24 horas, com os sintomas durando 3-5 dias. Infecções graves são raras, mas as pessoas com o sistema imunológico fraco estão em alto risco.

Estas infecções podem geralmente ser evitadas cozinhando completamente peixes e frutos do mar.

5. Toxoplasma
De acordo com o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), milhões de pessoas em todo o mundo carregam o parasita toxoplasma gondii. No entanto, apenas alguns de nós sofrem de quaisquer sintomas, devido a um sistema imunológico robusto. Dito isto, existem pessoas que desenvolvem toxoplasmose e podem desenvolver uma infecção grave.

Os sintomas são parecidos como os da gripe, o paciente pode sentir fraqueza, febre, dor muscular e aumento dos gânglios linfáticos. As pessoas em risco incluem mulheres grávidas e aqueles com um sistema imunológico fraco. O parasita pode causar doenças graves que podem prejudicar o cérebro, olhos, fígado e pulmões.

A bactéria toxoplasma gondii é encontrada em uma grande variedade de animais, mas só podem ser produzidas no estômago de um gato. Os gatos geralmente capturam o parasita comendo carne crua, vegetais sujos ou quando entram em contato com outras fezes de gatos infectados.

Para evitar a infecção, o CDC recomenda cozinhar seus alimentos com segurança e também certifique-se de lavar as mãos enquanto manuseia alimentos crus, para evitar a água suja e fezes de gato.



6. Salmonella 
Salmonella é um grupo de bactérias geralmente encontradas em aves não bem cozidas, ovos, carne bovina e, por vezes, em frutas e vegetais não lavados adequadamente. Tocar alimentos ou animais que estiveram em contato com as bactérias pode causar inflamação em seu sistema digestivo. Esta inflamação é chamada salmonelose e seus sintomas incluem febre, diarreia, dor de estômago e dores de cabeça que pode durar entre 4 a 7 dias.

A maioria das pessoas cura sem tratamento, mas para os idosos, bebês e pessoas com doenças crônicas, a salmonelose pode se espalhar no sangue, com resultados mortais.

Para evitar a infecção, evite comer ovos não cozidos, carne vermelha e de aves não totalmente cozidas, e mantenha a carne crua separada da carne cozida. Também lave tudo o que entra em contato com alimentos não cozidos.​

7. Norovírus
 Este vírus pode prejudicar o estômago e intestinos, e é muitas vezes chamado de 'gripe do estômago'. As bactérias são geralmente encontradas em alimentos contaminados ou bebidas, mas também pode ser espalhado por tocar superfícies ou outras pessoas que a transportam.

O vírus pode causar uma inflamação nas entranhas (gastrite). Os sintomas incluem fadiga, dores de cabeça, náuseas, dores de estômago, vômitos, diarreia e febre que tendem a durar alguns dias. A maioria das pessoas superam a doença, mas é importante beber líquidos suficientes para substituir o que você perdeu.

Para evitar infecções, limpe sempre as mãos com sabão depois de manusear os alimentos e desinfecte as superfícies de trabalho na cozinha e nos banheiros.


Fonte: Gabriela A.

A SANTA QUE DEIXA UM CAMINHO LUMINOSO NUM LAGO ITALIANO TODOS OS ANOS



Na noite de 2 para 3 de abril, um rastro dourado misterioso atravessa o lago de Chiusi

Todos os anos, na noite de 2 para 3 de abril, um rastro luminoso percorre o lago da cidade italiana de Chiusi (ndr: pronuncia-se “Kiúzi”), na Toscana, recordando a passagem milagrosa de Santa Mustiola.

A jovem e bela nobre romana era sobrinha do imperador Cláudio II e tinha 15 anos de idade quando decidiu abraçar a fé cristã. Mustiola passou a levar uma vida bastante austera e a evitar todo tipo de festa.

Suspeitando que a sobrinha tivesse abraçado essa religião que ele tanto detestava, o imperador a interrogou e ela respondeu com clareza: “Sim, sou feliz de ser cristã”. Enfurecido, o tio mandou prendê-la na hora.

Naquela mesma noite, enquanto a jovem já presa rezava, uma grande luz a iluminou e uma voz suave lhe disse: “Vai, Mustiola, a Chiusi. Prega o meu evangelho e batiza em meu nome”. Ela perguntou quem era e a voz respondeu: “Sou eu, aquele Jesus a quem tu amas”. Tremendo, ela se levantou. As correntes que a atavam se romperam, a porta se abriu e ela escapou no meio da noite.

Quando soube da fuga, o imperador mandou um grupo de soldados em seu encalço.

Mustiola passou algum tempo evangelizando e ajudando as pessoas em Chiusi, alimentando-se do que ganhava das pessoas e bebendo a água dos riachos. Um dia, descansando à beira do lago, ela ouviu o galope dos cavalos e os gritos dos soldados romanos que a tinham achado.

Assustada, a jovem se ajoelhou e orou intensamente ao Senhor. Um anjo lhe ordenou tirar o manto azul, estendê-lo no lago e subir nele. Obedecendo, ela atravessou o lago e foi deixando à sua passagem um rastro luminoso.

Os soldados não conseguiram segui-la: seus cavalos resistiam a entrar no lago. Era o amanhecer de 3 de abril de 273. Desde então, todas as noites de 2 para 3 de abril, é possível ver no lago o misterioso rastro dourada que recorda a travessia da santa.


Passado algum tempo, os soldados sob as ordens de Aureliano conseguiram recapturá-la, mas ela não teve medo de afirmar novamente a sua fé até morrer por Cristo: Santa Mustiola foi martirizada a golpes de açoite com pontas de ferro.

Suas relíquias foram guardadas nas catacumbas que trazem seu nome. No ano 700, foram levadas à catedral de Chiusi em uma urna e até hoje podem lá ser veneradas.


Outra lenda conta que a santa obteve a posse da Santa Aliança Nupcial de José e Maria, presenteada pelo seu noivo Lúcio, a quem Aureliano também mandou matar.


Santa Mustiola é a principal padroeira de Chiusi. Em seu dia, 3 de julho, a cidade celebra uma grande festa em sua memória. O vencedor do “Palio delle Torri”, uma das tradições dessa data, recebe a honra de defender as relíquias da santa durante todo o ano.

Fonte: https://pt.aleteia.org/2017/05/23/a-santa-que-deixa-um-caminho-luminoso-num-lago-italiano-todos-os-anos/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt


quarta-feira, 17 de maio de 2017

QUANDO REAGAN DISSE QUE OS PASTORINHOS ERAM MAIS PODEROSOS QUE O SEU EXÉRCITO



Quando os deputados se sentaram para ouvir Ronald Reagan discursar, em 1985, poucos esperariam uma referência a Fátima e aos pastorinhos. Mas foi isso que aconteceu.
Já na fase final do seu discurso, Reagan abordou a dimensão religiosa do homem. “A nossa reivindicação de liberdade humana e a nossa sugestão de que os direitos inalienáveis vêm de alguém maior do que nós estão ancoradas no transcendente”, disse, para depois evocar João Paulo II, seu amigo e aliado na luta contra o comunismo.

“Ninguém fez mais para recordar o mundo da verdade da dignidade humana, bem como do facto de que a paz e a justiça começam com cada um de nós, que aquele homem especial que veio a Portugal há uns anos depois de ter sofrido um terrível atentado. Veio cá, a Fátima, o local do vosso grande santuário, movido pela sua especial devoção a Maria, para pedir pelo perdão e pela compaixão entre os homens, para rezar pela paz e o reconhecimento da dignidade humana através do mundo”, disse Reagan.

Mas o mais surpreendente ainda estava para vir. “Quando me encontrei com o Papa João Paulo II, no ano passado, no Alasca, agradeci-lhe pela sua vida e pelo seu apostolado. Atrevi-me a sugerir que o exemplo de homens como ele e nas orações de pessoas simples em todo o mundo, pessoas simples como os pastorinhos de Fátima, reside mais poder do que em todos os grandes exércitos e estadistas do mundo.”

Reagan concluiu então, dizendo que apesar de ele ser Presidente de uma das duas superpotências mundiais, vinha a Portugal também para aprender sobre o poder. “Isto também é algo que os portugueses podem ensinar ao mundo. Porque a grandeza da vossa nação, como a de qualquer nação, reside no vosso povo. Pode ser vista no seu dia-a-dia, nas suas comunidades e vilas, e sobretudo nas igrejas simples que pontuam a vossa terra e que dão testemunho de uma fé que justifica todas as reivindicações de dignidade e liberdade dos homens.”

“Digo-vos que é aqui que está o poder, aqui se encontra a realização final do sentido da vida e do propósito da história e aqui se encontra a fundação para uma ideia revolucionária – a ideia de que os homens têm o direito de determinar o seu próprio destino.”

A história deste discurso foi revelada num artigo escrito pelo historiador Paul Kengor, na revista Crisis. O autor recorda que Tony Dolan, o principal autor dos discursos de Reagan, era um católico devoto que conhecia bem Fátima. Dolan confirmou a Kengor que o Presidente, apesar de não ser católico, estava a par do fenómeno.

“Ele sabia de Fátima. Fátima era uma parte importante do movimento anticomunista. O movimento de Fátima era algo que ele teria conhecido e, para além disso, ele tinha uma vertente mística muito forte.”

Por isso Dolan incluiu a frase no discurso: “Eu sabia que ele ia gostar e que a iria usar. Tinha a certeza. Foi muito atrevido”.

Mas o interesse de Reagan por Fátima não se ficou por aí. Em 1987 o Presidente ia novamente encontrar-se com o Papa, em Roma, e sabendo da importância de Fátima para João Paulo II quis inteirar-se totalmente sobre o assunto. O homem encarregue de o fazer foi o embaixador dos EUA junto da Santa Sé, Frank Shakespeare, que, por coincidência, tinha sido embaixador em Lisboa antes de ser colocado no Vaticano.

“Falei com o Reagan sobre Fátima na viagem, tanto no avião como no carro. E ele escutou com muita, muita atenção – estava muito atento. Estava mesmo muito interessado”, recorda Shakespeare, em conversa com Kengor.

A julgar por estes testemunhos, dos líderes mundiais da altura, não era apenas o Papa João Paulo II que Fátima tinha um papel importante a desempenhar na luta contra o comunismo.


(Via Sapo)

terça-feira, 16 de maio de 2017

BATATAS CROCANTES COM OREGANO E LIMÃO



Ingredientes
1 kg de batatas em fatias grossas
3 colheres de sopa de azeite de oliva
1 dente de alho esmagado
2 limões, raspas
2 colheres de sopa de orégano seco
Modo de preparo
Pré-aqueça o forno a 190. Em uma tigela, misture as batatas com o azeite de oliva, alho, raspas de limão e orégano. Tempere bem.

Arrume as fatias de batata em uma única camada em uma assadeira. Asse no forno por 35 minutos ou até dourar e ficar crocante.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

QUINTA DA REGALEIRA: UM LUGAR DE INCOMPARÁVEL BELEZA!

A Quinta da Regaleira é uma das propriedades mais belas do planeta. Localiza-se perto do centro histórico da cidade de Sintra, em Portugal, e foi classificada pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade. Com justiça, é considerada uma das principais atrações turísticas da região.

O talentoso fotógrafo canadense Taylor Moore conseguiu capturar a atmosfera mágica e a legendária beleza deste lugar em sua recente visita. Após olhar e admirar esta coleção de fotos, ficamos pensando seriamente em ver este magnífico lugar de perto.

                                    Torre da Regaleira


A propriedade compreende um palácio, uma belíssima capela e um verdejante parque contendo lagos, grutas, poços, bancos, fontes e uma grande variedade de edificações. 

                                                           Luz mágica.


                                      poço à noite


                                          As grutas


A propriedade é conhecida também como "O Palácio do Milionário Monteiro", devido ao nome do seu mais conhecido dono, António Augusto Carvalho Monteiro.

                                          A torre à noite


"Macte Animo", uma excursão noturna pela quinta, culminando com um jantar para, no máximo 30 pessoas.

                                               Entrada


                                                Lago


Monteiro desejava construir um lugar extraordinário, onde ele poderia colecionar os símbolos que refletiam seus interesses e ideologia. Com a assistência do arquiteto italiano Luigi Marini, ele recriou esta propriedade de quatro hectares.

                           Porta ricamente ornamentada


                                    O poço visto do fundo


                                    Cabeça de uma urna


                  A névoa transmite magia à atmosfera do local


Em acréscimo a outras construções, Monteiro fez erguer estruturas enigmáticas que, reza a lenda, contêm símbolos relacionados à alquimia, Maçonaria, aos Cavaleiros Templários e à Ordem Rosacruz. A arquitetura de Manini evoca os estilos Românico, Gótico, Renascentista e Manuelino.

                              Beleza em todos os ângulos


                              A capela numa noite azul


                          Torres góticas, gárgulas e mistério


                                    Uma romântica sacada


                       Um lago sereno em paisagem tranquila


                                    À luz de velas


                                      As belas grutas


                               Laboratório de alquimia


                                             Grutas


                                 Celebrações religiosas


                                    Vista da capela


                                  Caminhos misteriosos


                                           Campanário


                          Uma luz azul refletindo na caverna


                          A capela vista de outro ângulo




Fonte: Dória A.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

CRIADO NOS LIXÕES, MORADOR DE RUA ENTRA NA UNIVERSIDADE DE HARVARD



Aos 8 anos, ele já havia perdido seus pais e tinha vagado mais de 100 km, terminando num lixão da Ruanda. E foi lá que sua vida mudou.

A vida, bem, na verdade a sobrevivência, sempre foi algo difícil para Justus Uwayesu. Durante o genocídio de 1994 contra os tutsis em Ruanda, Justus perdeu o seu pai e sua mãe. Após isso, todos os dias eram difíceis. Quando tinha 8 anos, ele já tinha vagado mais de 100 quilômetros, terminando no lixão de Kigali, a capital de Ruanda.

Sua casa era um carro incendiado, todo destruído, no qual ele dormia em pedaços de papelão. O carro não tinha janelas, porém oferecia alguma proteção contra a chuva e o sol.

Então, num domingo, Clare Effiong apareceu, uma visitante benfeitora dos E.U.A. Através de um intérprete, Clare iniciou uma conversa com as crianças, perguntando “o que queriam?” E claro, ouvindo as habituais respostas de dinheiro, roupas e etc. Mas quando ela perguntou ao pequeno Justus, ele disse, “Eu quero ir para a escola.” E de todos aqueles que estavam na multidão, Justus foi o que entrou naquele taxi.

Após esse dia a vida de Justus mudou, Clare financiou seus estudos e quando se formou do colegial, ele já falava cinco idiomas. Mas, línguas não eram o foco dele, ele se tornou um brilhante estudante de matemática e química.

Hoje, após 13 anos estudando, Justus faz parte da maior universidade do mundo, a Universidade de Harvard nos E.U.A. E mesmo durante seus estudos, ele ainda trabalha com projetos de caridade e abriu uma escola de culinária para garotas. Em Harvad, ele estudou com bolsa integral, matemática, economia e direitos humanos.








(Via Razões para Acreditar. Fotos: The New York Times)

POR QUE A MENSAGEM DE FÁTIMA DEIXOU O PAPA PIO XII “OBCECADO”?



"...um aviso divino contra o suicídio que representaria a alteração da fé, em sua liturgia, sua teologia e sua alma"

O cardeal Eugenio Pacelli, que em 1939 se tornaria o Papa Pio XII, fez a seguinte declaração no ano de 1936 a respeito das aparições de Nossa Senhora de Fátima e da sua mensagem ao mundo:

Estou obcecado pelas confidências da Virgem à pequena Lúcia de Fátima.

Essa obstinação de Nossa Senhora diante do perigo que ameaça a Igreja é um aviso divino contra o suicídio que representaria a alteração da fé, em sua liturgia, sua teologia e sua alma (…)

Ouço ao redor de mim os inovadores que querem desmantelar a Capela Sagrada, destruir a chama universal da Igreja, rejeitar seus ornamentos, fazê-la ter remorso do seu passado histórico (…) Estou convicto de que a Igreja de Pedro deve assumir o seu passado ou então cavará sua sepultura (…)

Dia virá em que o mundo civilizado renegará seu Deus; em que a Igreja duvidará como Pedro duvidou.

Ela será tentada a crer que o homem se tornou Deus, que seu Filho é apenas um símbolo, uma filosofia como tantas outras; e, nas igrejas, os cristãos procurarão em vão a lâmpada vermelha em que Deus os espera. Como Maria Madalena, chorando perante o túmulo vazio, perguntarão: “Para onde O levaram?


Monsenhor Georges Roche e Philippe St. Germain, em “Pie XII Devant l’Histoire“. Edit. Laffont, Paris, 1972, págs. 52–53.